Coleta de resíduos manual; um grande problema

A coleta de resíduos manual (porta a porta) é o sistema comumente usado no Brasil. No entanto, além de dispendioso, esse processo é pouco eficiente e com alto grau de risco de acidentes. Isso porque requer a exposição do lixo por um período prolongado de tempo, o que favorece a contaminação ambiental e aumenta o risco de acidentes com pessoas e outros animais.

Por isso, neste post, destacamos cinco razões pelas quais os municípios devem mecanizar sua coleta a partir de um sistema de conteinerização, eliminando gradualmente a coleta porta a porta.

A coleta porta a porta deixa os resíduos expostos

Para que o resíduo possa ser retirado pelos funcionários da prefeitura ou catadores de recicláveis, ele deve ser disposto do lado externo à casa antes do momento da coleta.

Isso pode significar desde disposto nas cestas suspensas ou diretamente na calçada. Com isso, vem os riscos, já que resíduo ficará exposto desde a disposição até o momento da coleta. Assim, além de atrair animais, estão muito mais passíveis de poluírem as cidades e agravarem os casos de enchentes.

Além disso, animais que proliferam-se no lixo são, também, os que mais causam problemas à saúde: ratos, baratas e mosquitos. Os ratos podem transmitir leptospirose, doença transmitida por uma bactéria encontrada na água contaminada ou na urina dos roedores.

Isso é muito problemático em locais chuvosos ou em épocas de chuva. Os insetos levam as doenças de um lugar para outro, como as baratas. Já mosquitos podem ser vetores de doenças graves como dengue, zika e chikungunya. 

Não tem flexibilidade de horários

O sistema de coleta de resíduos manual, ou porta a porta, funciona com base em cronogramas pré estabelecidos pelas prefeituras. Com isso, o lixo deve ser destinado quando a coleta passa. No entanto, nem todo mundo consegue dispor seu resíduo no horário solicitado, o que pode gerar um transtorno no momento do descarte ou acúmulo de lixo em casa.

Causa poluição visual

O sistema de coleta porta a porta não requer, obrigatoriamente, o uso de contentores. Com isso, o lixo é disposto de forma desorganizada para ser recolhido. Além dos problemas já mencionados, isso ocasiona poluição visual, deixando o ambiente desagradável.

Expõe trabalhadores e pedestres a acidentes

A coleta de lixo no sistema porta a porta expõe o coletor a maior risco, por ter contato direto com o resíduo e, se o gerador não acondicionar de forma adequada, pode colocar em risco de acidente com cortantes durante o carregamento físico dos sacos.

Este processo também obriga que os coletores tenham maior desgaste físico, já que necessitam seguir o caminhão em baixa velocidade atirando os sacos. Já para os pedestres, lixo na rua, pode ocasionar risco de quedas, em especial para portadores de necessidades especiais. 

Coleta de resíduos manual é cara

Esse processo de recolhimento de lixo, por sua baixa eficiência, torna-se muito caro. Além dos riscos ocupacionais e ambientais, a desorganização da disposição do lixo para o recolhimento torna o processo de coleta mais moroso, com a necessidade de passar em todas as ruas.  

Também, o caminhão precisará permanecer o tempo que for necessário ao recolhimento completo do lixo. No caso de algum saco ter rasgado ou de materiais mal acondicionados, esse procedimento pode demorar muito a ser concluído.

Assim, como já é possível em alguns lugares do Brasil comparar o custo das coletas, é possível afirmar que a coleta porta a porta é menos eficiente. Por outro lado, a coleta mecanizada apresenta grandes diferenciais. São eles: prevenção da poluição e de acidentes, assim como proporciona maior rapidez e segurança no sistema de coleta.

Saiba mais sobre coleta mecanizada e a conteinerização 

2 thoughts on “Coleta de resíduos manual; um grande problema

  1. Pingback: tinder computer

  2. Pingback: dating sites free dating sites