Quais são os tipos de coleta de lixo e seu destino?

Você já parou para pensar sobre o que acontece depois que os resíduos gerados são levados pelo caminhão? Esse serviço, aliás, é chamado de coleta de lixos. Mas o que ele faz? Esse recolhimento é de responsabilidade de quem? Quais são os seus tipos? A coleta seletiva é sempre feita?

Neste post, vamos explicar tudo o que você precisa saber sobre a coleta de lixo. Então, continue a leitura:

O que é e como funciona a coleta de lixos?

É o serviço de recolher os resíduos gerados em residências, que pode ser prestado por uma empresa pública ou privada, e destiná-los aos locais corretos. Na maioria dos países, a coleta de lixo é feita pelo poder público — no Brasil,  pelas prefeituras ou empresas especializadas contratadas para essa finalidade. Ela é, portanto, sustentada por uma taxa retirada do IPTU.

Desde 2010, todas as prefeituras são obrigadas a obedecer à Política Nacional de Resíduos Sólidos, que traz todas as diretrizes relativas à gestão do lixo. Foi ela que proibiu o uso de lixões — embora eles ainda sejam muito adotados. 

Quais são os tipos de coleta de lixos?

Conheça diferentes maneiras de lidar com o lixo.

Tradicional

Em grande parte dos centros urbanos, a coleta seletiva ainda não é realidade. Portanto, os lixeiros fazem o recolhimento tradicional, em que apenas pegam os sacos de lixo nas residência e os destinam a aterros sanitários ou incineração. Esse tipo de coleta também costuma ser manual, ou seja, os profissionais recolhem e jogam as sacolas de lixo dentro do caminhão.

Apesar de ser um procedimento popular, isso não significa que seja a melhor escolha. Isso porque o material desperdiçado vai demorar anos para se decompor (até séculos e milênios, dependendo da sua composição), enquanto matérias-primas precisam ser geradas para produzir novos produtos. Resumindo: a conta não fecha e o acúmulo de resíduos só aumenta.

Além do gasto econômico com a perda de materiais que poderiam ser reaproveitados, ele gera o aumento de poluição e obriga os profissionais a percorrer muitos quilômetros em apenas um dia. 

Seletiva

É a coleta que visa o reaproveitamento do material descartado. Aqui, os materiais são separados de acordo com sua qualidade. Podem ser úmidos (não descartáveis) ou seco (descartáveis); orgânicos (cascas de frutas e restos de comida), inorgânicos (materiais recicláveis) e lixo (o que não pode ser reaproveitado) ou o mais comum: papel, metal, plástico e vidro.

Esse coleta pode ser feita de várias formas: 

  • conteinerização dupla: dois contentores são colocados em pontos específicos da região, para que os cidadãos possam jogar o lixo reciclável e o orgânico em locais distintos;
  • lixeiras coloridas: papeleiras são colocadas em diferentes pontos da cidade. Cada uma delas tem uma cor específica e serve como destino de um material diferente;
  • PEV e ecopontos: são locais com diversos contentores para que os cidadãos levem diversos tipos de resíduos — dos recicláveis aos industriais e até eletrônicos;
  • convencional: os lixeiros passam nas casas e levam as sacolas, cada uma com um tipo de lixo.

Depois de recolhido, esses resíduos seguem para cooperativas, que fazem a seleção do que pode ou não ser reaproveitado e, a partir daí, serão vendidos a empresas de reciclagem.

Mecanizada

É o tipo de coleta de lixos mais segura, moderna e limpa. Ela é feita em conjunto com a conteinerização, ou seja, o caminhão de lixo não precisa percorrer a cidade toda recolhendo o lixo — o cidadão deixa em um contêiner, que será esvaziado em dias específicos.

Aqui, em vez de os lixeiros jogarem os resíduos manualmente, eles encaixam o contentor em mecanismos que funcionam como “braços”. Eles o levantam e viram todo o conteúdo dentro da boleia do caminhão, evitando o contato manual.

Entendeu como é feita a coleta de lixo? Então, descubra agora como funciona a reciclagem no Brasil!

Comments are closed.